Conheça os Tipos de Leitura

Por:
Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin

No último texto postado da nossa série “Como ser um bom leitor”, você viu quais são os cuidados que você precisa ter na pré-leitura de um texto.

 

Quer lembrar quais são essas dicas? Clique aqui!

 

E no texto que finaliza a nossa série, você vai ver quais são os tipos de leitura possíveis ao você se deparar com um texto!

Fonte: Pixabay (2020)

Leitura Exploratória

A leitura exploratória é aquela que você faz investigando o que há de primordial no texto.

Assim, quando você iniciar uma leitura e não estiver entendendo nada é: leia até o fim. O foco inicial da leitura é você conseguir entender qual é a ideia central do texto. A partir disso, você vai conseguir explorar as outras ideias secundárias relacionadas à principal.

 

Leitura Analítica ou Interpretativa

Esta é a leitura mais complexa, porque é nela que o seu conhecimento de mundo, linguístico (aqueles relacionado à gramática) estarão presente.

Nesta leitura, no que tange à gramática, é primordial que você saiba pontuação, crase e ambiguidade, por exemplo. São dois quesitos gramaticais que podem mudar completamente a interpretação do que está escrito. Veja o exemplo a seguir:

 

  • Pontuação:

  1. “Não vai ter copa”. “Não, vai ter copa”. (Repare que as duas orações têm sentido diferente apenas por causa da inserção da vírgula depois do “não”. Na primeira, afirma-se que não existirá copa; na segunda, há uma negação da resposta e a afirmação de que haverá a copa. Debate muito aflorado durante a preparação da Copa do Mundo no Brasil, em 2014.
  2. “Vamos comer gente?”. “Vamos comer, gente?” (Na primeira, você é um canibal que como pessoas; na segunda, você está convidando as pessoas para irem comer alguma coisa. Consegue perceber a importância da vírgula para a construção de sentido de um texto?)
  • Crase:

  1. À tarde, ficava feliz com a sua chegada. (Nesta oração, “à tarde” exerce a função de tempo, ou seja, alguém fica feliz com a sua chegada apenas no período da tarde.)
  2. A tarde ficava feliz com a sua chegada. (Neste caso, “a tarde” – sem crase – exerce a função de substantivo, isto é, é exatamente ela quem fica feliz com a sua chegada, independentemente, do horário que não está descrito.)
  • Ambiguidade:

  1. “Vi o gato do seu irmão.” (Repare que, devido à oração não ter um contexto, não sabemos se a palavra “gato” refere-se a um elogio ao irmão da pessoa ou ao animal que o irmão da pessoa tem.

Questões como estas são essenciais para que você consiga fazer uma interpretação correta de um texto. Fique atento! O programa de Nivelamento da Língua Portuguesa, da UNINA, apresenta essas questões com mais detalhes, confira lá na sua plataforma!

 

Leitura Crítica

É aquela leitura que engloba todas as outras que você consiga diferenciar a intenção do autor com o texto e o que você tem de crítica.

A leitura crítica é você aliar a compreensão do texto e a sua interpretação dele.

Nesse sentido, para fazer uma leitura crítica, você analisa, concorda, discorda, relaciona a outros exemplos etc.

Ao ler um artigo científico, por exemplo, você deve ficar atento a alguns quesitos que podem ajudá-lo a interpretar o texto: identificar o objetivo geral e os objetivos específicos; qual a metodologia utilizada; quais os teóricos presentes; e, principalmente, qual a análise dos dados e a ideia defendida pelo autor.

 

Outras questões que podem guiar a sua leitura são:

 

Perguntas de esclarecimento

  • O que o autor quer dizer quando afirma que ______?
  • Qual é o ponto crucial de seu texto?
  • Qual é a relação entre _____ e _____?
  • Isso pode ser explicado de uma outra maneira?
  • Vejamos se entendi o ponto de vista do autor: ele quer dizer _____ ou _____? Qual é a relação entre isto e o foco do problema/discussão/argumento?
  • Será que eu consigo resumir com as minhas palavras o que o autor disse?
  • Ele traz algum exemplo?
  • _____ seria um bom exemplo disso?

 

Perguntas que verificam suposições

  • Qual é a suposição do autor aqui?
  • O que eu poderia supor em vez disto?
  • Todo o discurso do autor depende da ideia de que _____.
  • Por que ele baseou a sua hipótese em _____ em vez de em _____?
  • Parece que ele supõe que _____. Posso ter isso como uma verdade?
  • É sempre assim? Por que ele acha que essa suposição é pertinente?
  • Por que alguém partiria desta suposição?

 

Perguntas que verificam evidências e linhas de raciocínio

  • Qual a linha de raciocínio do autor?
  • Como isso se aplica a este caso?
  • Existe uma razão para duvidar desta evidência?
  • Quem pode saber que isto é verdade?
  • O que ele diria a alguém que afirmasse o contrário?
  • Algum outro autor apresenta evidências a favor deste ponto de vista?
  • Como ele chegou a essa conclusão?
  • Como podemos descobrir se isso é verdade?

 

Perguntas sobre pontos de vista ou perspectivas

  • Em que implica essa afirmação?
  • Quando ele diz _____, subentende-se _____?
  • Mas se isto acontecesse, quais seriam os outros resultados? Por quê?
  • Quais seriam os efeitos disso?
  • Isso aconteceria necessariamente ou é apenas uma possibilidade?
  • Existem alternativas?
  • Se _____ e _____ são verdadeiros, o que mais poderia sê-lo?
  • Se dissermos que ____ é ético, o que podemos dizer de _____?

 

Perguntas que verificam implicações e consequências

  • Como posso descobrir isso?
  • Qual é a suposição dessa pergunta?
  • Seria possível elaborar essa questão de outra forma?
  • Que outro autor poderia esclarecer essa questão?
  • É possível subdividir essa questão?
  • Essa pergunta é clara? Entendi isso?
  • Essa pergunta é fácil ou difícil de responder? Por quê?
  • Para responder a essa pergunta, que outras perguntas é preciso responder primeiro?
  • Por que essa questão é importante?
  • Essa é a pergunta mais importante ou existe uma outra questão na qual essa se baseia?
  • É possível relacionar isso a algum outro conteúdo ou área de estudo?

Fonte: CAVALCANTE (2009)

 

E com essas dicas, chegamos ao final da nossa série “Como ser um bom leitor”.

Você viu ao longo da série que ler não é um ato simples, dependendo da sua intenção ao ler um texto. Há inúmeros cuidados que devem ser tomados para realizar uma leitura a se deparar com um texto.


Agora, é só colocar em prática durante os seus estudos ao longo da jornada acadêmica!

Gostou da dica? Compartilha esse texto com os seus colegas de turma!

Escritor por: Luis Gabriel Venancio Sousa – Coordenador de Curso e responsável pelo Programa de Nivelamento da Língua Portuguesa.

Tópicos

Sua opinião é muito importante

Gostaríamos de saber como foi sua experiência em nosso site, desse modo podemos estar sempre em constante melhoria.



    Skip to content