SERIE3

Conhecimentos para a pré-leitura de um texto

No último texto publicado da nossa série “Como ser um bom leitor”, você viu a difrença entre interpretar e compreender um texto.

Quer relembrar a diferença dessas duas técnicas de leitura? Clique aqui!

No terceiro texto da série, você vai ver quais são os conhecimentos de pré-leitura que devem ter atenção especial para que a leitura seja significativa!

Fonte: Pixabay (2020)

 

Pré-leitura

De antemão, é importante você ter ciência de que cada leitor, por mais que vários leitores leiam o mesmo texto, terá uma interpretação única/particular, pois cada um tem uma experiência de vida individualizada e conhecimentos e formação cultural individualizadas também. Portanto, cada um terá uma percepção diferente de um texto, por mais que, no final, o conteúdo assimilado esteja no mesmo contexto.

 

Por isso há críticas quanto aos professores que propõem aos alunos perguntas de interpretação de texto, tal como: “o que o autor quis dizer?” Justamente porque a interpretação é individualizada e específica de cada leitor. Isso não quer dizer que cada um pode interpretar o que quiser de um texto, afinal, o autor tem uma intencionalidade ao escrever, no entanto, as percepções para construir o sentido da história será individual.

 

Baltar et al (2011, p. 128) justifica essa ideia dizendo que “os textos serão lidos de modo particular pelos diferentes leitores nos diferentes momentos históricos em que isso se processar, o que, porém, não autoriza a cada leitor conferir ao texto uma interpretação tão particularizada a ponto de tangenciar ou deformar o que está escrito no texto, ou tergiversar sobre tal conteúdo.”

 

Sendo assim, as dicas a seguir de pré-leitura o ajudarão a construir um sentido do texto de forma que você não juga da proposta do autor, pois essa interpretação particularizada não significa que possa haver fuga da temática abordada pelo autor.

 

Uma das etapas da leitura começa muito antes de você iniciar o texto propriamente dito, ela começa com a pré-leitura! A seguir, você vai ver quais são os pontos que você precisa ficar atento antes de iniciar a leitura de um texto. Vamos lá!

 

Estrutura

A estrutura do texto vai indicar como este foi elaborado e já dá indícios da intencionalidade do autor. Uma tirinha, por exemplo, será composta por linguagem verbal e não-verbal; um artigo acadêmico conterá aspectos específicos e tamanho de texto longo; um resumo representará as ideias de um outro texto. E assim, identificando essa estrutura do texto, você consegue fazer uma das pré-leituras necessárias.

 

Outro ponto específico da estrutura é identificar qual o gênero textual que você vai ler. Um romance contemplará uma narrativa longa e poderá ser uma ficção ou baseada em história real; uma notícia de jornal vai informar algo do cotidiano; uma tirinha vai fazer uma crítica a algo relacionado à realidade humana; um artigo de opinião vai expor o que o autor do texto acredita/pensa etc.

 

Portanto, por meio da identificação da estrutura do texto, você consegue supor a que tipo de leitura você estará exposto e a que tipos de reflexões você precisará ter para construir o sentido do texto.

 

Linguagem

Identificar a linguagem é o segundo passo mais importante na pré-leitura. Reflita em algumas questões:

 

  • Qual o idioma?

É primordial que isso seja identificado, caso você saiba mais de uma língua, pois as palavras podem ter sentidos diferentes em outros países, o que determina consideravelmente a compreensão/interpretação do texto.

Existem palavras destacas em negrito, itálico, sublinhado ou como hiperlink?

As palavras destacas nos textos têm relevância na construção do sentido. A intenção do autor ao destaca-las é chamar a atenção do leitor para algo específico. Geralmente, essas palavras representam um conceito-chave, o que pode ajudá-lo a enfatizar a temática do texto e direcionar a sua leitura para um caminho específico. Ao percebê-las, tente analisar se elas têm relação com o título e com as imagens (quando estas tiverem presentes), pois essa relação é o que vai determinar a intencionalidade do autor com o assunto tratado no texto.

 

Fonte: Pixabay (2020)

 

  • Tem imagens, elas estão relacionas ao título?

As imagens são complementos de ideias e têm papel fundamental na composição de construção de sentido do leitor. Fazer uma pré-leitura, antes de iniciar o texto, ajudará a ter uma prévia do que pode ser abordado. Assim, você conseguirá direcionar a sua atenção/reflexão para a temática. Portanto, uma dica valiosa é: analise o contexto da imagem com o título do texto para que você tenha uma ideia do que focalizar na sua leitura.

 

  • Qual o subtítulo da imagem?

Toda imagem tem uma legenda, a qual podemos chama-la também de subtítulo. Essa descrição, aliada ao conteúdo da imagem e ao título ajudarão você a ter uma percepção e uma leitura prévia do que será abordado no texto. Assim, o ajudará a não fugir do tema proposto pelo autor.

 

  • Quem é o autor do livro? Você já o conhece? Sabe qual o estilo de escrita dele, os gêneros que ele mais escreve?

Saber quem escreveu o texto que você vai ler é primordial para compreender o conteúdo contemplado. Ao ler Machado de Assis, por exemplo, você vai saber que ele remete seus textos a críticas sociais; ao ler um texto de Clarice Lispector, você vai saber que ela remete a crises existenciais do ser humano; se for ler texto de algum jornalista de posicionamento político específico, vai saber qual o teor apontado por ele. Portanto, conhecer e saber quem é o autor do texto o ajudará bastante nesse processo prévio de leitura, pois você pode ter ideia da linguagem, se haverá gíria ou expressões específicas que o autor utiliza etc.

 

  • Identificar linguagem literais e não literais

Saber identificar se o texto contém apenas linguagem literal ou não é outro fato predeterminante para você interpretar um texto. Alguns gêneros textuais, como os contos, as crônicas, as tirinhas etc. usam da linguagem não literal para fazer o leitor refletir a respeito de algo que não está dito no texto. A linguagem literal é usada em gêneros mais técnicos, como os manuais, os artigos acadêmicos etc. Portanto, saber identificar qual tipo de linguagem o autor usa em seu texto é importante para a sua leitura. Veja um exemplo: a expressão “levou um pé na bunda”, se você ler no sentido literal vai entender que pessoa realmente sofreu um chute na bunda. Já se você interpreta de forma não literal, vai entender que é uma expressão para dizer que alguém terminou um relacionamento, ou foi dispensada de alguma situação.

 

  • A leitura

Provavelmente você já leu um texto e, ao final dele, pensou: “Não entendi nada!” Depois disso, de duas uma: ou leu de novo até entender, ou desistiu. Certo?

Fatores como esses não são exclusivos a você. É muito comum que leiamos algum texto e não o compreendemos na primeira leitura, ainda mais se for de alguma temática que você não está habituado. Por isso é tão importante ler de tudo um pouco, se inteirar de assuntos diversos e expandir a nossa capacidade cognitiva a outras áreas do conhecimento.

É por isso que há contradições aos discursos de classificar pessoas como analfabetas funcionais ou que não sabem ler. A questão é muito mais complexa, e, para que você consiga ler de tudo e entender um pouco de tudo, o próximo texto da nossa śerie vai contemplar algumas dicas de leitura, principalmente aquelas voltadas ao meio acadêmico!

 

Gostou da dica? Compartilha esse texto com os seus colegas de turma e fique atento(a) à próxima postagem!

 

#QUARENTENA #UNINA #LEITURA #DICA #PRÉ-LEITURA

Escritor por: Luis Gabriel Venancio Sousa – Coordenador de Curso e responsável pelo Programa de Nivelamento da Língua Portuguesa.

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on linkedin
LinkedIn
Share on email
Email
Mais
Publicações
POR QUE EU DEVO ME ADAPTAR À PANDEMIA?

Por Que eu Devo me Adaptar à Pandemia?

Recursos on-line ganham destaque nas instituições de ensino e no mercado de trabalho.  O ano de 2020 foi marcado pelo início da pandemia, causada pela COVID-19 Com o número

Eduardo Socini Miranda

Doutor em ciência política. Graduado em Ciências Sociais, pesquisador,
cientista político, assessor parlamentar, professor e coordenador do Curso
de Licenciatura em Ciências Sociais na Faculdade Unina.