Menu

“DESCOMPLICA, UNINA!”: ENTENDENDO O NUMERAL – PARTE 2

Você sabe o que são os numerais? Neste artigo continuaremos a aprender os numerais e suas aplicações.

Nesta sequência de textos para (re)conhecer as classes gramaticais, vamos dar continuidade aos numerais. Nas últimas publicações do “Descomplica, Unina!”, aqui no blog, você viu alguns “países” do “Planeta Gramática”, mais precisamente na última publicação começamos a ver o “País Numeral” e, nesta publicação, vamos finalizar essa “visita”.

Leia também: 5 dicas para professores iniciantes

Para começarmos, vou relembrar uma informação relevante já mencionada no texto anterior. No “País Numeral”, habitam os termos com a característica de acompanhar o substantivo, atribuindo-lhe uma ideia numérica. Nesse país, moram os habitantes (termos) que indicam a ideia de quantidade, ordem, mutiplicação ou fração ao substantivo.

Na publicação anteriror, vimos a diferença de número e numeral e, também, os numerais cardinais, ordinais e multiplicativos. O próximo numeral que mostraremos é o numeral fracionário, que indica a fração de uma quantidade do substantivo.

Veja o exemplo.

Repare que o numeral fracionário “metade” acompanha o substantivo “barra”, indicando-lhe a ideia de fração (divisão). Outros numerais que indicam a ideia de fração são: meio, um terço, um quarto, um centésimo, entre outros.

Leia também: Descubra a importância da formação pedagógica para funcionários de escolas

Agora, vamos ver algumas particularidades dos numerais. Alguns numerais podem ser flexionados no feminino para acompanhar o substantivo. Veja o exemplo a seguir.

Repare que o numeral “dois”, na primeira oração, está no masculino para acompanhar o substantivo “irmãos”, e o numeral “duas”, na segunda oração, está no feminino para acompanhar o substantivo “irmãs”. Isso também pode acontecer com os numerais: meio/meia, primeiro/primeira, terceiro/terceira, duzentos/duzentas, um/uma.

Outra particularidade é que existem numerais coletivos. Isso quer dizer que um termo representa um conjunto de números exatos de dias, meses, anos, quantidades, medidas etc.

Veja o exemplo.

O numeral coletivo “década”, na primeira oração, equivale a “dez anos”, e o numeral coletivo “dúzia”, na segunda oração, equivale a “doze unidades”.

Leia também: 3 maneiras de se tornar um especialista dentro da sua área de atuação.

Veja mais alguns exemplos de numerais coletivos: Novena (nove dias), Quarentena (quarenta dias), Século ou centenário (cem anos), Milênio (mil anos), Bimestre (dois meses), Semestre (seis meses), Tonelada (mil quilos), Quilômetro (mil metros), dupla (duas pessoas ou coisas), dezena (dez unidades), par (duas unidades).

Agora, para finalizarmos o texto, veja esta última informação: é preciso tomar cuidado com relação aos numerais “um” e “uma”, para não confundi-los com artigos indefinidos. E como vamos identificá-los? É fácil, pelo contexto da mensagem. Veja o exemplo a seguir.

Ao ler os exemplos, conseguiu perceber a diferença?

No primeiro exemplo, o termo “uma” equivale a um artigo indefinido, pois se refere a uma menina qualquer. Já no segundo exemplo, os termos “um” e “uma” equivalem à quantidade de itens que foram comprados.

Espero que você tenha “descomplicado” mais um assunto da nossa língua portuguesa. Nos próximos textos do Descomplica, Unina!, vamos dar continuidade as classes gramaticais.

Leia também: Qual é o Salário de um Pedagogo?

Até o próximo.

Gostou? Ficou com dúvidas? Quer sugerir outros temas? Entre em contato com o setor do PROLAC, o Programa de Letramento Acadêmico da Faculdade Unina: carla.sanches@unina.edu.br; luis.gabriel@unina.edu.br; sonia@unina.edu

Texto escrito pela professora Carla Emanuelle Sanches.

Tópicos

Faculdade Unina